quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Momentos difíceis

Quase não toco nos assuntos pessoais de minha vida aqui no blog, mas como já comecei a falar alguma coisa nos últimos posts, vou comentar algo mais.

Se há uma coisa que ninguém pode falar do meu marido é que ele não é um bom pai. Digo, um pai que não apenas colocou os filhos no mundo, mas que fez o que pôde para estar presente na vida deles, mesmo depois de um divórcio litigioso. Não fez apenas no passado, ainda o faz. Mudamos para outra cidade, e ele ainda os vê religiosamente a cada 15 dias, faça chuva, sol ou neve.

Em diversas ocasiões na vida dele pós-divórcio, se viu forçado a contratar baby-sitters por meses e meses, quando a mãe das crianças os abandonava na casa dele. Por conta de ter que trabalhar 12 horas por dia, não podia se dar ao luxo de ficar com os filhos durante a semana na maior parte do dia, mas fazia o melhor possível nos finais de semana. A mãe das crianças sempre teve a custódia dos filhos, mesmo após tê-los abandonado por meses e meses sem sequer visitá-los; coisas da "justiça', muitas vezes questionável. Thomas tentou a guarda apenas uma vez e perdeu, o que o fez desistir depois. Após incontáveis vezes de abandono aos filhos quando meu marido ainda estava solteiro, ela os abandonou em nossa casa, em meados de 2009.
Alegando um momento de muito stress, deixou os três em nossa porta, e desapareceu. Tentamos conversar com ela, mas não conseguimos absolutamente nada. O único registro que temos de contato com ela é uma msg no celular do meu marido, avisando que se não quiséssemos os filhos deles, que os levássemos para algum orfanato. Está gravado até hoje no celular. Ficamos com os meninos por 11 meses. Durante este período, claro, não pagamos pensão. Eu quis reportar o ocorrido mas Thomas achou melhor esperar, contando que ela os pegasse de volta, até porque os meninos tinham toda a vida deles na outra casa: um quarto para cada um, escola perto, amigos, escoteiros, torneios de futebol,etc. Como eu não podia falar por ele, não sendo pai ou mãe das crianças, a história ficou por isso mesmo. Achei errado, mas exatamente qdo estávamos pensando em obter a custódia, eis que a mãe aparece, dizendo que quer os filhos novamente; que vai mudar, que vai fazer terapia, blablablá. Devolvemos os kids e a vida continua. Sim? Não foi bem assim. Passados meses, porque isso aconteceu em Maio de 2010, recebemos uma carta da justiça há quase 3 semanas atrás nos avisando que a mãe dos kids está nos levando para a côrte, alegando que nao pagamos 1 centavo de pensão no período em que os kids ficaram conosco. Sim, claro que não pagamos, pois eles estavam morando conosco. Era isso que eu temia, e agora aconteceu. Por isso eu quis tanto reportar o ocorrido. Não dependia só de mim. Agora a mulher vem com toda a desonestidade do mundo alegando as piores mentiras. Desde que recebemos este comunicado, estamos bem apreensivos. O ideal seria o depoimento dos meninos, mas os dois mais velhos não querem se envolver, segundo eles, para não tomar partido do lado de ninguém. Fico assustada ao comprovar tamanha insensibilidade. Quando a mãe os colocou em nossa porta, eles não tinham ninguém, a não ser o pai, que, claro, fez o melhor possível para acomodá-los. Levava-os à escola em outro distrito todos os dias, buscava após o trabalho, levava ao clube dos escoteiros, ao psicólogo, médico, dentista, e tudo mais. Em nenhum momento pensou em outra coisa a não ser fazer o melhor que podia. Só errou ao não reportar o que estava acontecendo. Aí ele errou feio, e agora está já pagando o preço deste erro, porque só o estresse de comparecer a estas audiências, mais o custo com advogados e levantamento de provas, já é suficientemente ruim.

Quero pedir suas preces em nosso favor. É mais que tudo uma questão de justiça. Estou muito decepcionada também com a atitude dos meus enteados, não esperava isso. Eles sabem que podem contar sempre com o pai - jamais com a mãe. Por que então não falar a verdade? Bom, temos ainda a gravação no celular e algumas de texto. Temos funcionários da escola que souberam de tudo. Não sei, só nos resta esperar a segunda semana de Fevereiro pra ver no que dá.

Torçam por nós. Só queremos que a verdade venha à tona.

7 comentários:

Dani disse...

Debora,
Que chato! Vcs não merecem isto mesmo... Vou rezar para que a justiça prevaleça.
Beijos

Debora Rocha Muscutt. disse...

Obrigada, Dani. Não merecemos mesmo e contamos com a justiça desta vez. Nós 2 cremos no poder das preces.
Beijos pra vc e Joaquim

Gisley Scott disse...

Sinceramente essa aí nem ser mãe merece.Tb fiquei chocada como os filhos não contribuem para que a verdade apareça...Nossa mulher americana é o cão, sinceramente!

Estarei colocando isso em oração e espero que tudo isso se resolva e que a justiça seja dessa vez , feita.

Bjos

Debora Rocha Muscutt. disse...

É verdade, Gi. Esta mulher só coloca filhos no mundo, recebe o $ da pensão e nada mais. Triste! E triste tb os filhos não ajudarem o pai que sempre fez tudo por eles. Deus é maior, e é nEle que eu espero. Obrigadíssima por suas orações!
Bjs!

Elis disse...

Minha amiga, que situacao mais dificil, hein? Eh por isso que nao podemos confiar nos outros e sempre eh melhor ter um papel pra comprovar isso e aquilo, ne? Mas, tomara q as coisas se ajeitem e q, c essa licao, as pessoas crescam, evoluam e pensem com a cabeca.

Tudo de bom pra vcs!

Roberto disse...

Vamos é orar muito!
Bjs Roberto!

Debora Rocha Muscutt. disse...

Obrigada, Elis e Roberto! Aguardamos a justiça Divina acima de tudo. Bjs

Feeds

Visitantes online - Welcome!

lineflower_gif